Mundo Husqvarna

Jardinando - Jardinagem
Publicado em 23 de agosto de 2016

Piscina com jardins – os Trópicos nos favorecem!

Confira espécies que embelezam a área em volta da piscina.

por Rosalba da Matta Machado

Plantas para a área da piscina devem atender a alguns requisitos:

– Não devem ter folhas pequenas;

– As plantas não podem ser caducifólias (também chamadas de caducas, são aquelas que perdem as folhas durante certo período do ano);

– Não devem ter raízes agressivas;

– Não devem ter espinhos.

 

Sobre as folhas, quando elas caem com frequência ou são pequenas, acabam sujando em demasia tanto a área calçada do entorno da piscina como a própria piscina. Essas folhas diminutas podem ainda entupir a tubulação de circulação e filtragem de água.

 

Sobre as raízes, muita atenção a elas! Não são somente as árvores de grande porte que podem causar danos, como por exemplo, o ficus (Ficus benjamina). Algumas palmeiras possuem fortes e grandes sistemas radiculares que conseguem destruir muretas e a própria estrutura da piscina devido à pressão que exercem. Uma dessas é a popular areca-bambu (Dypsi lutescens). Outra, a palmeira-fênix (Phoenix roebelenii).

 

Obviamente, respeitando-se uma distância mínima de afastamento da piscina essas plantas podem ser usadas sem que haja problemas. Essa distância deve ser proporcional ao tamanho da planta. Quando se deseja maior proximidade, recursos como construção de caixas de contenção reforçadas com concreto e armação de ferro podem ser empregados.

 

Sobre os espinhos, a recomendação de tê-los ou não é uma questão de bom senso. Deve-se avaliar antes quem frequentará o local e onde estarão as plantas. Em piscinas onde crianças correm livremente, os espinhos são armadilhas aguardando uma distração.

 

Algumas espécies indicadas para os jardins da piscina

 

Palmeira triangular (Dypsis decaryi) – Palmeira de clima tropical originária de Madagascar alcança 6m de altura e aprecia pleno sol. É indicada também para regiões litorâneas, com solos arenosos. Mantenha espaçamento mínimo de 2m entre a palmeira e a piscina.

 

Palmeira-fênix (Phoenix roebelenii) – palmeira delicada originária do Sudeste Asiático pode ser mantida tanto a pleno sol como meia-sombra e clima tropical e subtropical. Atinge 4m de altura. Se adquirida com mais de 1,7m de tronco evita-se acidentes com os espinhos na base de suas folhas. Mantenha espaçamento mínimo de 2m entre a palmeira e a piscina. Se em vasos, opte pelos maiores, com 1m de diâmetro por 0,8m de altura.

 

Palmeira das canárias (Phoenix canariensis) – palmeira robusta originária das Ilhas Canárias, de pleno sol e climas tropical e subtropical, atinge 15m de altura. Se adquirida com mais de 1,7m de tronco evita-se acidentes com enormes espinhos na base de suas folhas. Mantenha espaçamento mínimo de 4m entre a palmeira e a piscina.

 

Coco-anão (Cocos nucifera) – o nosso querido coqueiro da Bahia fica também muito interessante em jardins de piscinas, conferindo um ar praiano. É nativo das Américas do Sul e Central e deve ser mantido a pleno sol. Mantenha espaçamento mínimo de 3m entre a palmeira e a piscina.

 

Palmito-espanhol (Chamaerops humilis) – palmeira delicada originária do Mediterrâneo, aprecia clima subtropical , temperado e tropical de altitude. Seu uso em climas mais quentes deve ser a meia-sombra. Mantenha espaçamento mínimo de 2m entre a palmeira e a piscina.

 

Jasmim-manga (Plumeria rubra) – Árvore de flores perfumadas, parcas grandes folhas e bastante tropical é originária das Américas do Sul e Central. Deve ser mantida a pleno sol. Chega a 5m de altura. Em Bali é raro ver uma piscina que não tenha um jasmim-manga. Mantenha espaçamento mínimo de 1,5m entre a palmeira e a piscina. É tóxica!

 

Pata-de- elefante (Beaucarnea recurvata) – Planta mexicana de clima tropical e pleno sol, suporta climas secos. Alcança 5m de altura. Fica bem também em grandes bacias. Cuidado! As folhas cortam as mãos.

 

Dracena arbórea (Dracaena arborea) – Árvore elegante, de origem africana e clima tropical e equatorial, aprecia pleno sol. Atinge 10m de altura. É perfeita para a piscina pois além de ter folhas grandes, estas são perenes.

 

Dragoeiro (Dracaena draco) – planta muito antiga e escultural, originária das Ilhas Canárias e Ilhas da Madeira e Açores, tem crescimento muito lento, podendo chegar a 20m quando adulta. Aprecia clima subtropical e tropical Pode ser usada tanto em vasos como ser plantada diretamente no chão.

 

Heliconias (Heliconia sp.) Originárias da América do Sul em sua grande maioria, são plantas que agregam ar tropical pela sua viçosa folhagem ou suas exuberantes brácteas (folhas modificadas para atrair os polinizadores) coloridas. Algumas atraem beija-flores. São várias as espécies que ficam interessantes em jardins de piscinas: Exemplos: a Heliconia psittacorum Red Golden, que atinge 1,7m, para áreas mais ensolaradas e a Heliconia bihai “Lobster Claw”, que atinge 2,5m,  para áreas à meia-sombra.

 

 

*Rosalba da Matta Machado é formada em Engenharia Agronômica pela Universidade de Brasília e especialista em paisagismo – área que trabalha desde 2001, idealizando jardins para áreas residenciais, comerciais e governamentais.

Informe os dados abaixo para finalizar o seu cadastro

Campos com (*) são obrigatórios

Obrigado pelo seu cadastro!

Agora aproveite e confira os nossos conteúdos.