Mundo Husqvarna

Profissionais do campo - Gramados e campos
Publicado em 25 de novembro de 2016

Irrigação de gramados esportivos

Saiba mais sobre projetos de gramados esportivos de alto nível e porque eles devem contar com sistemas de irrigação automatizados

por Artur Melo

Continuando a sequência de artigos sobre gramado esportivos, neste 18º texto falaremos sobre a  IRRIGAÇÃO.

 

É fundamental que fique claro que a água é tão vital como a luz e nutrientes para os vegetais. Aliás, a água é vital para todas as formas de vida. Aplicar a quantidade de água que o gramado necessita para se desenvolver na sua máxima plenitude é um dos objetivos do profissional que atua na área de gramados esportivos.

ESCAMOTEÁVEL E AUTOMATIZADA

 

 

Irrigação de green de golfFoto: Arquivo pessoal

Irrigação de green de golf

Devemos aplicar uma lâmina de água que satisfaça as necessidades hídricas da espécie vegetal, no caso, gramados esportivos, sem excessos nem faltas, contribuindo para a racionalização de uso de recursos hídricos e de energia elétrica.
Desta forma, o vegetal se desenvolve, tem grande produção de massa verde e oferece aos usuários (atletas e comissões técnicas) um tapete fechado, uniforme, denso e que tenha alta capacidade de regeneração (suporte de pisoteio).

 

Por tudo o descrito, nos últimos 15 anos, paulatinamente na maioria dos bons gramados, foi e vem sendo implantados, os sistemas de irrigação escamoteável e automatizados.

 

Detalhe de emissor (aspersor) escamoteávelFoto: Arquivo pessoal

Detalhe de emissor (aspersor) escamoteável

Este sistema conta com aspersores no campo, que ficam recolhidos sob o gramado (escamoteáveis – Foto), somente emergindo na hora de executar o seu serviço (de irrigar).

 

Há um controlador central que gerencia (automatização) horários e dias de rega, tempos e ordem de funcionamento de cada um dos ramais que compõem o sistema. São equipamentos de precisão e podemos regular nestes, onde molhar, bem como determinar as lâminas que devemos a aplicar, através da troca de bicos e tempos de aplicação de água.

 

Em sistema grandes, como campos de golf, além dos controladores podem ser instalados softwares, em ambiente Windows, que gerenciam o sistema com mais eficiência e praticidade, podendo inclusive ser acionados remotamente e à distância.

 

Na Copa2014, face aos problemas de sombreamento, a maioria das Arenas usou esse sistema, com a particularidade de haver uma válvula para cada aspersor, e não uma válvula por ramal. Isso permite um controle individual da lâmina aplicada no terreno, separando com maior eficiência, área de pleno sol e as sombreadas.

 

CONCLUSÃO

Projetos de gramados esportivos de alto nível, têm de prever e contar com sistemas automatizados de irrigação, quer para o bom desempenho do gramado, quer pela garantia de sucesso e sustentabilidade do campo (racionalização de uso de água e energia elétrica).

 

Saudações Agronômicas e até a próxima!

 

* Artur Melo é engenheiro agrônomo formado pela UFRJ, projetista e consultor em gramados esportivos (Golf e Futebol) e irrigação automatizada. Com mais de 20 anos de experiência, em projetos de gramados, já atuou nos principais Clubes, CTs, Estádios e Empreendimentos Turístico/Imobiliários do mundo.

Informe os dados abaixo para finalizar o seu cadastro

Campos com (*) são obrigatórios

Obrigado pelo seu cadastro!

Agora aproveite e confira os nossos conteúdos.