Mundo Husqvarna

Jardinando - Jardinagem
Publicado em 29 de julho de 2016

Como incluir orquídeas em seu jardim

Saiba a melhor maneira de cultivar a flor

por Rosalba da Matta Machado

Orquidea roxa na palmeiraFoto: Shutterstock

Orquídeas são das mais populares plantas. Existem centenas de espécies, cada qual com sua peculiar beleza e cor. Algumas perfumadas, usadas em pequenos e solitários vasos em casa ou aos milhares em certas festas.

 

Quem as cultiva de forma profissional, transfere-as para um orquidário: um pergolado ou construção arejada e protegida da incidência direta do sol, onde são mantidas para reprodução (árvores frondosas com boas sombras costumam ser usadas como orquidários também). Nos orquidários, elas são transplantadas para vasos de barro ou cachepots ripados de madeira, onde são mantidas em mesas ou penduradas.

 

Outra opção elegante é expô-las em jardins, prendendo-as em árvores. Para isto, escolhe-se o lado voltado para o nascente. Árvores muito jovens, com pouca copa ou que são caducas (perdem as folhas em determinada época do ano) não servem para a maioria das espécies de orquídeas, já que elas não suportam sol direto.

 

Para realizar esse procedimento, será necessário apenas:

Um rolo de barbante (do mesmo tom dos caules, para ficar discreto, não se destacar).

Árvores, palmeiras;

Um ajudante;

 

Retire a orquídea do vaso, tomando cuidado para não quebrar nem as raízes, nem os caules. Se houver na planta uma haste de metal utilizada para apoiar o ramo florido, retire-o também (deixá-lo lá pode provocar sérios acidentes oculares).

Observação: quando a orquídea é retirada do vaso, dele saem também substrato e casca de madeira que exigem um toque de limpeza.

 

 

Orquidea com raizes e barbanteFoto: Shutterstock

Ao retirar a planta do vaso, mantenha as raízes coesas, segurando-as gentilmente.

Leve a orquídea até a planta escolhida e encoste-a junto ao caule. Um ajudante irá enrolar o barbante em volta da orquídea e do caule da árvore (ou palmeira) em conjunto, deixando-a firmemente amarrada ao tronco, mas sem apertar demais e nem deixá-la frouxa.

 

Dê um laço e corte o excesso de barbante. É importante deixar as raízes em contato com o tronco. Serão elas as responsáveis pelo apoio da orquídea e, é evidente, da captação de água e alimentos.

 

 

 

 

 

 

Raizes fixas na palmeira ja sem o barbanteFoto: Shutterstock

Após o procedimento, irrigue delicadamente a planta. Mantenha a irrigação diária, em pequena quantidade, durante 30 dias aproximadamente. Após esse período, com intervalos de dois a quatro dias. Vale observar: nem as raízes nem as folhas devem ficar murchas, desidratadas.

 

Mais tarde percebe-se que as raízes já estão aderidas ao tronco da árvore (ou palmeira). Em mais algum tempo, as raízes já serão suficientes para fixarem a planta na árvore. Neste momento, retire o barbante, cortando-o. Atenção para não cortar as raízes.

 

 

 

 

 

Orquídea amarela com barba-de-velho ao fundo (Tillandsia usneoides)Foto: Shutterstock

Para enfeitar e para proteger a muda você pode colocar sobre a orquídea uma bromélia conhecida por barba-de-velho (Tillandsia usneoides). Carreia umidade, cresce junto e fica bonito.

 

Utilize adubos específicos para orquídeas. Guie-se pelas recomendações da embalagem e, então, terás um jardim com orquídeas a florescer sempre. Quanto mais variedades utilizar, mais flores em todas as estações do ano.

 
*Rosalba da Matta Machado é formada em Engenharia Agronômica pela Universidade de Brasília e especialista em paisagismo – área que trabalha desde 2001, idealizando jardins para áreas residenciais, comerciais e governamentais.

Informe os dados abaixo para finalizar o seu cadastro

Campos com (*) são obrigatórios

Obrigado pelo seu cadastro!

Agora aproveite e confira os nossos conteúdos.