Mundo Husqvarna

Agronegócio
Publicado em 15 de novembro de 2016

Tomate: prepare o solo e cuide do manejo

Confira nossas dicas e obtenha bons resultados ao final do plantio do tomate

Um dos frutos mais cultivados no mundo é o tomate, que atinge altos níveis de produção por ser uma espécie com capacidade de se desenvolver em várias regiões do mundo, em clima temperado, tropical de altitude e subtropical. Além de ser muito exigente quanto aos nutrientes, o tomate depende de tratos culturais e do manejo eficiente para garantir a qualidade da colheita.

 

Clima e solo: melhores condições para o cultivo do tomate

 

Os tomateiros podem ser cultivados no mundo inteiro, mas não suportam temperaturas extremas, ou seja, não se desenvolvem em climas com temperaturas muito baixas nem muito altas. Isso porque ocorre a diminuição das taxas de germinação das sementes, prejudicando a formação dos frutos.

 

A temperatura diurna ideal para seu crescimento está entre 19ºC e 24ºC, com pequenas variações entre o dia e a noite e grandes exposições à luminosidade, com sol direto pelo menos algumas horas do dia. A umidade do ar também tem grande influencia nesse cultivo. Quando expostos a uma região com baixa umidade do ar estão sujeitos a menor incidência de pragas e doenças.

 

Além disso, a cultura do tomate é tolerante quanto ao tipo de solo, sendo bastante produtiva naqueles com características areno-argilosas. Os melhores resultados são obtidos a partir de solos bem drenados, férteis, ricos em matéria orgânica, com certa profundidade e com acidez controlada (pH entre 5,5 e 7).

 

Antes de começar o preparo do solo, é importante verificar a presença ou não de camadas adensadas, que dificultam os tratos culturais e levam ao aumento da umidade na superfície do solo, o que favorece o ataque de fungos causadores de podridões, e coletar amostras de solo para a análise química. Dessa forma, o produtor descobre se será necessária a aplicação do calcário (calagem), que deve ser feita dois meses antes do plantio, preferencialmente, em períodos com chuvas.

 

Dicas Husqvarna:

 

– Se a dosagem de corretivo recomendada pelo especialista for superior a 2 toneladas por hectare, a calagem deve ser dividida em duas aplicações, sendo a primeira antes da aração e a segunda após a primeira gradagem;

 

– Se o solo apresentar pH acima de 5,0, a correção é complementar e o corretivo pode ser aplicado de uma só vez;

 

– Preste bem atenção nas condições do terreno e não confunda o solo areno-argiloso com solos que são extremamente argilosos, com tendência ao encharcamento, pois sua cultura pode não sobreviver;

 

– Mantenha o solo sempre úmido, sem que fique encharcado, evitando o acúmulo de sais.

 

Saiba como preparar o solo

 

Existem diversas opções de preparo do solo, e essas escolhas dependem da qualidade do solo, da disponibilidade de equipamentos, do grau de compactação do solo e do sistema de plantio. Se o seu objetivo é destinar a produção de tomate ao mercado comercial, a sua área deve ser plantada com mudas produzidas a partir das sementes colocadas em bandejas de isopor, preenchidas com substrato comercial.

 

Essas serão transplantadas com o auxílio de equipamentos ou até mesmo manualmente assim que contarem com quatro ou cinco folhas ou atingirem sete a dez centímetros de altura.  Somente a partir disso é escolhido o local definitivo para o plantio. Confira os três métodos de plantio que podem aplicados no cultivo do tomate:

 

– Transplante de mudas: necessita do auxilio de um equipamento distribuidor de fertilizante, promovendo, então, o sulcamento e a fertilização. Na operação de transplante, o sistema de distribuição de mudas dispõe de um sulcador que é regulado para coincidir com a linha anteriormente fertilizada, visando promover a incorporação do fertilizante no solo e evitar o contato direto das raízes das mudas com o fertilizante;

 

– Plantio direto na palha: quando se efetua o plantio das sementes ou o transplantio das mudas sem realizar o preparo do solo com aração e gradagem, mantendo a palha da cultura anterior. São boas alternativas para a sucessão de cultuas: o arroz ou o milho, visando à produção de grão, ou o milheto, apenas para a produção de palhada. A aplicação do herbicida (por meio de pulverizadores) visando à retirada da umidade é feita aproximadamente 45 dias após a germinação e 10 dias antes do transplantio. Já a adubação para o tomateiro é feita na profundidade de 7 a 12 centímetros, para evitar que as raízes das mudas entrem em contato direto com o fertilizante;

 

– Semeadura direta: neste caso, deve-se fazer uma ou duas gradagens e, logo a seguir, as operações de encanteiramento, sulcagem, adubação e semeadura. Neste caso, é indispensável eliminar os torrões e os restos de vegetação, que dificultam a distribuição das sementes e o surgimento de plantas. Quando os solos são leves e bem drenados, pode-se dispensar o levantamento de canteiros.

 

Em solos compactados, a primeira operação é a subsolagem ou aração profunda (superior a 30 centímetros). Porém, se o solo for muito seco, pode ocorrer a formação de grandes torrões, dificultando as demais operações de preparo do solo e o plantio. Em alguns casos, é necessário realizar a irrigação da camada superficial antes da aração ou da subsolagem. Logo após esses processos, usa-se a grade aradora e complementa-se o destorroamento com a grade niveladora. Assim, a compactação do solo é diminuída por meio do preparo mais profundo do solo.

 

Dicas Husqvarna:

 

– Faça irrigações diárias nas mudas, sem excesso de água;

 

– A subsolagem deve ser feita com baixa umidade do solo, para ter ação lateral de quebra da camada adensada;

 

– Uma dica para o melhor crescimento do tomateiro é combinar o cultivo com ervas aromáticas.

 

Como lidar com o solo: manejo para a cultura do tomate

 

                Comece o manejo da área de cultivo do tomate fazendo a limpeza do local, removendo todos os resíduos com o auxílio de um soprador. Se o terreno recebeu outro plantio há pouco tempo, é recomendado ará-lo para destruir tudo que restou e acelerar o processo de decomposição dos restos. Outra aplicação importante para manejo da cultura tomateira é a calagem, que pretende corrigir a acidez do solo com o acréscimo de calcário.

 

Os tomateiros, além de crescerem em bandejas e serem transplantados com o auxílio de equipamentos são cultivados sobre o tutoramento, que consiste em amarrar a planta (sem colocar muita força) em uma vara ou cerca, com uma corda fina, em formato de X, a cada 15 dias. Essa prática é essencial para a reta final do desenvolvimento do tomate.

 

Além disso, previna-se: pelo menos um mês de começar o plantio aplique pesticidas na área e previna o aparecimento de pragas e ervas daninha que podem danificar a plantação.

 

Fonte: Mundo Husqvarna

Informe os dados abaixo para finalizar o seu cadastro

Campos com (*) são obrigatórios

Obrigado pelo seu cadastro!

Agora aproveite e confira os nossos conteúdos.